46% dos brasileiros não se preocupam em trocar as senhas após ciberataques
Avaliação do Usuário: / 0
PiorMelhor 
Escrito por Adrianno Oliveira   
Seg, 04 de Setembro de 2017 20:18

alt

    De acordo com um relatório recente divulgado pela Avast, apesar de 96% dos entrevistados se mostrarem bastante preocupados com a segurança online e valorizaram medidas preventivas como a autenticação em dois fatores e envio de código PIN no smartphone, quase metade (45,9%) afirma não trocar suas senhas após um ataque cracker parecido com o que aconteceu recentemente com o site do Magazine Luiza.
    Dos que alegaram mudar seus códigos de acesso, 64,8% disse fazer isso somente na plataforma que teve problema, fato bastante problemático, uma vez que os cibercriminosos utilizam credenciais obtidas de outros servidores para acessar outras contas do mesmo usuário.
    Para piorar o panorama, apenas 3% afirmaram fazer uso de algum tipo de ferramenta para o gerenciamento de senhas. Segue abaixo outros dados apontados pelo levantamento:

  • 48,8% afirmam que suas contas de comércio eletrônico valem R$ 350 ou mais;
  • 61% não se sentem confiantes quanto a segurança de suas informações pessoais na internet;
  • 17% já tiveram seus dados violados;
  • 23,9% disseram que não sabem se foram ou não incluídos em algum vazamento de dados.

    Em virtude dos dados apresentados, o TudoCelular alerta pra que, se possível, utilize-se senhas distintas para cada site/rede social/conta que você tiver.
    E, além disso, as troque ou ao menos faça um rodízio periodicamente. Assim como na saúde, no ambiente virtual é sempre melhor prevenir do que remediar.

FONTE: Tudo Celular. Acesso em 04/09/2017 (adaptado).

Última atualização em Qui, 30 de Novembro de 2017 12:50